Guarani das Missões: o que fazer na cidade mais polonesa do RS
9 de novembro de 2020
Como é o Skyglass Canela: testamos o brinquedo Abusado
10 de novembro de 2020

Caminho das Missões: mapa pelo circuito dos peregrinos

Para quem deseja ter uma experiência transformadora na região das Missões, o Caminho das Missões é um roteiro de peregrinação importante.

Neste mapa pelo circuito dos peregrinos é possível percorrer os mesmos trajetos que ligavam os antigos povoados missioneiros. Abrange diferentes percursos, podendo ser feito pelo Rio Grande do Sul, Argentina e Paraguai.

No Rio Grande do Sul, o percurso passa por destinos onde existiam os 7 Povos das Missões – São Borja, São Nicolau, São Luiz Gonzaga, São Lourenço, Santuário do Caaró, São Miguel das Missões, São João Batista e Santo Ângelo, além do município de Garruchos. 

Melhor época para fazer o Caminho das Missões

São quatro tipos de percurso que podem ser escolhidos pelo peregrino: de 14 dias (338 km), 6 dias (155 km), 8 dias (183 km) e 3 dias (72 km). Em todos eles o caminhante encontra estradas com muitas histórias e paisagens.

Plantações de milho, trigo e aveia colorem o trajeto, assim como casinhas de moradores e pontes que aparecem pelo percurso. 

Em relação à melhor época, depende muito da motivação do peregrino. Outono e primavera costumam ser épocas mais amenas para fazer o roteiro. No verão os dias são mais longos, porém o calor pode chegar a até 40 graus. No inverno, as temperaturas baixas podem incomodar um pouco.

Seja qual for o mês escolhido, é possível fazer o roteiro em grupo ou até mesmo individualmente. Tudo é organizado pela Operadora de Turismo Caminho das Missões, que, desde 2001, é responsável pela caminhada. Além do percurso, estão inclusas paradas para alimentação e hospedagem em pousadas ou casas de família.

A última parada dos peregrinos é em Santo Ângelo. Ali, eles realizam uma espécie de ritual de finalização do percurso, passando pelo portal da cidade, parando em frente à ponte e fazendo um cumprimento com os cajados. 

Depois, os peregrinos seguem em direção à Catedral Angelopolitana – eles geralmente chegam no momento em que os sinos da igreja tocam, o que simboliza o fim do percurso.

Caminho das Missões: roteiro peregrino onde cada um tem uma missão

O Caminho das Missões é bastante elogiado pelos peregrinos. Muitos deles inclusive participam mais de uma vez do roteiro. 

Morador de Brasília, Jeison Andrade, 44 anos, por exemplo, realizou o percurso pela segunda vez em setembro de 2020 (ele já havia feito em 2016). Da última vez, ele percorreu todo o trajeto sozinho, sendo autoguiado pela operadora de turismo.

Com cajado em mãos, ele assegurou que o caminho foi muito tranquilo e que não teve maiores dificuldades. “O que pesa mais é a questão física, dá cansaço, mas não tive problemas e foi muito bom ter participado mais uma vez dessa peregrinação”, contou ele, que fez o percurso maior, de 14 dias.

Outro peregrino que encontramos na nossa viagem foi o advogado e professor universitário Eliseu Manica, 71 anos. Ele participou da primeira caminhada em 2001. Desde então, já perdeu as contas de quantas vezes fez o roteiro. “Acho que foram umas oito ou dez vezes”, contou.

Para ele, o caminho das Missões é um momento de introspecção e relaxamento. “Gosto muito dessa caminhada, principalmente pelo contato com pessoas diferentes, onde temos uma troca de informações e momentos únicos de reflexão e também de tranquilidade”, declarou o morador de Santo Ângelo, que sempre realiza o trajeto acompanhado de algum grupo.

Texto da jornalista Nicole Fritzen

Você também pode gostar desses textos:

São Miguel das Missões, a cidade mais visitada pelos turistas que vão às Missões

Turismo de fé de São Paulo das Missões

Como é visitar o Santuário do Caaró, em Caibaté

São Luiz Gonzaga: terra da canção missioneira e do carreteiro

Comentários

comentários