7 vinícolas para conhecer na região de Bento Gonçalves (RS)
23 de dezembro de 2020
Capital dos gaúchos: O que fazer em Porto Alegre
8 de janeiro de 2021

O que fazer em Jerusalém: roteiro de 1 dia

Está procurando o que fazer em Jerusalém? A jornalista Sissi Dalmas, que viveu na Palestina, criou um roteiro de 1 dia na cidade e compartilhou com a gente.

Temos certeza de que você vai gostar dessas dicas de Jerusalém e poderá programar bem seu roteiro numa das cidades mais lindas. 

Segue aqui o texto dela:

Eu sou completamente fascinada por Jerusalém! 

Não é por nada que é uma cidade sagrada para três religiões (judaica, muçulmana e católica). Cada esquina da cidade conta uma história milenar, que mudou o rumo da civilização. 

Ao mesmo tempo, a cidade é muito moderna, com trens, diversos hostels, bares e vida noturna ativa.

É muito relativo dizer quanto tempo é necessário para visitar alguma cidade, mas acredito que em três dias vocês conseguem curtir todas as atrações de Jerusalém – eu teria ficado meses por lá. 

Destaco aqui alguns dos lugares que são paradas obrigatórias para quem visitar a cidade. Para vocês terem uma ideia do tempo que necessitam para visitá-los, conto que em um dia, eu consegui fazer um tour pela cidade velha, fazer a Via Sacra completa e visitar o Muro das Lamentações e a Cúpula da Rocha. Tudo isso em uma manhã e tarde!

Há vários tipos de tours (e até tours religiosos), que demoram desde algumas horas até três dias. 

Minha dica é: se informem com o hostel/hotel onde vocês estão e eles indicarão como vocês podem entrar em algum deles. 

Assim como em várias cidades do mundo, há também a opção do “free” walking tour em Jerusalém – ressalto esse “free” porque é sugerido que você deixe uma gorjeta ao final do passeio, por livre e espontânea pressão.  

Cidade Velha de Jerusalém

A cidade velha de Jerusalém é cercada por muralhas, possui 9 portões de acesso e está dividida em 4 quarteirões: cristão, armênio, judeu e muçulmano.

 Há uma relativa paz entre todos que vivem na cidade – relativa porque no dia que visitei a Cúpula da Rocha, o exército de Israel realizou uma investida ao local enquanto os muçulmanos rezavam. 

É nessa parte de Jerusalém que estão as principais atrações: Muro das Lamentações, Via Sacra e Cúpula da Rocha. 

A cidade ainda tem as características milenares, como ruas estreitas e sinuosas, o que traz uma sensação indescritível de volta ao passado.

Via Dolorosa (ou Via Sacra)

É o objetivo principal de todos os cristãos que visitam a terra santa: refazer as estações que marcam o caminho de Jesus até o morro calvário, onde ele foi crucificado. 

Você pode contratar um guia para isso, ou fazer por conta. Eu preferi a segunda opção, porque, como cristã, queria passar por essa experiência sozinha. 

Estação onde Jesus encontrou Maria

Demorei muito mais para achar cada estação, tomou bastante tempo para pesquisar as informações sobre os locais, mas não me arrependo. 

Para mim, foi muito mais significativo assim. Até porque eu já sabia bastante sobre o que havia acontecido em cada uma das estações.

Demorei aproximadamente 4 horas para fazer todo o trajeto, que termina na basílica do Santo Sepulcro, construída sob o monte Calvário. 

Basílica do Santo Sepulcro

Essa igreja é um labirinto, dividida APENAS entre gregos, armênios, franciscanos, sírios, egípcios e etíopes (ufa!). Quem não conhece a história, pode ficar um pouco perdido se visitar o local sem um guia, pois cada metro quadrado guarda tem uma história. 

Ali estão as últimas estações da Via Sacra, onde jesus foi crucificado, morto e sepultado. É possível, inclusive, visitar o túmulo de Jesus, mas reservem um tempo para isso, pois a fila é longa.

Monte das Oliveiras

Em frente à cidade velha de Jerusalém, é o local onde Jesus se reuniu com os apóstolos após a Santa Ceia e onde foi preso pelos romanos. Independentemente da religião, muitas pessoas sobem para ver a vista da cidade, mesmo que atualmente restem poucas oliveiras no monte. 

Ali também está o cemitério judaico mais importante da cidade. Alguns dos lugares bíblicos do local: igreja do Pai Nosso (onde Jesus teria ensinado a oração) e o túmulo da Virgem Maria.

Muro das Lamentações

Local mais sagrado do mundo para os judeus, o muro foi tudo o que restou do templo de Herodes, destruído pelos romanos. 

É possível tocar no muro e até deixar um bilhete com um pedido entre as pedras, mas não é possível tirar fotos no local (e nem dar as costas ao muro, afaste-se dele andando de costas mesmo). 

Cúpula da Rocha

Local onde, segundo o Corão, Maomé teria ascendido ao paraíso e voltado para relatar o que viu. É uma das mesquitas mais sagradas no islã. 

A entrada na mesquita é permitida apenas para muçulmanos, mas é possível chegar na esplanada e tirar fotos em frente a construção.

Museu do Holocausto

Um memorial para as vítimas do holocausto que, infelizmente, não consegui visitar. 

Pretendo fazer isso quando voltar, sem dúvida. A entrada é gratuita. 

Este texto é assinado pela jornalista Sissi Dalmás, que atualmente mora nos Emirados Árabes e é uma cidadã do mundo!!

Comentários

comentários