Onde comer em Cambará do Sul: roteiro com 7 lugares
19 de fevereiro de 2020
Inhotim: guia completo para visitar o museu a céu aberto
20 de fevereiro de 2020

Cozumel: mar cristalino e história Maia

Primeiramente, quando se fala em Caribe, a imagem do mar azul claro surge imediatamente na cabeça. O sentimento de paz e relax de férias geralmente vem acompanhado na imagem mental do país. Cozumel é a ilha que representa todo esse sonho de tranquilidade e descanso para turistas de todo o mundo.

Localizada na parte sul de Cancun, com água clarinha e morna, areia fofa e alguns coqueiros para nossa felicidade, a praia encanta por suas belezas naturais.

O destaque, lá, fica por conta do mergulho em que o turista entra em contato com a vida marinha e os belos recifes do Oceano Atlântico. A dica para aproveitar muito essa experiência é ir de fevereiro a abril, época em que se pode ver mais peixes e os corais estão mais vivos. 

Como chegar em Cozumel?

Embora existam diversos métodos de se chegar a ilha, a forma mais comum é pelos ferries que saem de Playa del Carmen. Nesse caso, as viagens duram 35 minutos e custam em torno de 280 pesos mexicanos para ida e volta, o equivalente a R$ 40. A dica é pesquisar bastante, pois alguns vendedores podem apresentar preços abusivos ou também descontos!

Infelizmente, não se pode percorrer a ilha a pé. O centrinho não possui praias e, o desembarque dos ferries, fica bem distante das praias mais bonitas do local. Diversas agências recomendam o aluguel de motos para fazer o deslocamento, mas o ideal é procurar por um carro já que geralmente as motos são antigas e não possuem tanta segurança. 

Dica 1: Aproveite as praias e os beach clubs

Se o trajeto pode conter algum tipo de problema, a vista das praias compensa todo e qualquer esforços. Longas faixas de areia branca e mar cristalino são o cartão postal do local!

Se você busca tranquilidade, a dica é buscar as praias de Punta Chiqueros, Punta Morena, Playa Bonita e Playa Chen Río ou Playa Palancar. Além dos cenários paradisíacos, essas praias recebem menos turistas e se transformam no local perfeito para relaxar. 

Os beach clubs, por outro lado, ficam nas regiões mais movimentadas e atraem os turistas pela infraestrutura. A Playa de San Francisco, conta com os mais famosos, o Paradise Beach Club, o San Francisco Beach Club e o Carlos’ n Charlie’s Beach Club.

Nesses locais, além de bares maravilhosos, se encontram caiaques, jet skis, parasailing, banana-boat e brinquedos infláveis para aproveitar a água! Porém, cuidado, os serviços não são gratuitos, então é importante conferir os valores antes.

Quer percorrer Cancun e Cozumel de carro? No nosso link você pode encontrar menor cotação em diversas locadoras de veículos

Dica 2: Vá além das praias, conheça as Ruínas de El Cedral

Em segundo lugar, quem acredita que Cozumel vive apenas de areia branca e mar azul está enganado. A ilha também é um prato cheio para quem gosta de história, principalmente a da Civilização Maia

El Cedral é um exemplo disso. O vilarejo abriga uma ruína arqueológica em que a civilização Maia adorava os deuses no passado. A estrutura foi descoberta em 1518 pelo espanhóis, porém a  data da construção é por meados de 800 d.C. As visitas podem ser feitas por meio de passeios guiados a pé, a cavalo, ou em veículos 4×4 previamente alugados. 

Se você estiver na cidade entre abril e maio, ainda pode contemplar o Festival da Santa Cruz. A tradição tem mais de 150 anos de história e foi iniciada por Casimiro Cárdenas.

Ele foi sobrevivente da fuga de Cozumel após a Guerra das Castas em 1847. As lendas contam que o nativo prometeu um festival anual no local que o acolheu como forma de honrar o poder do crucifixo religioso. A festa, hoje, é um grande evento na cidade que também inclui feiras, músicas e competições. 

Dica 3: Navegue pela história no sítio arqueológico San Gervasio

Além das Ruínas de El Cedral, outra dica para quem quer mergulhar de vez na história é conhecer o mais importante sítio arqueológico de Cozumel, o San Gervasio. O local foi escolhido como culto para a Deusa Ixchel durante o reinado da Civilização Maia. O povo a considerava a divindade responsável pela fertilidade, medicina, trabalhos têxteis e pela lua. 

Em resumo, as ruínas são simples e reservadas, porém representam um local importante para entender uma parte importante da história dos Maias. Por fim, no local, ainda é possível fazer um pedido ou uma oferenda para a Deusa Ixchel. O San Gervasio funciona de segunda a domingo, das 8h às 15h45. A entrada custa 10 dólares.

Viaje sempre com seguro de viagem para evitar qualquer transtorno! Use nosso link e ganhe descontos

Comentários

comentários