Evento 4Estações em Gramado: música e gastronomia para aguçar os sentidos na Serra Gaúcha
8 de fevereiro de 2018
Travelterapia lança roteiro Blogueiros Viajantes na serra gaúcha
4 de março de 2018

Viagem a Dubai inspira arquitetos gaúchos

Foto: Pexels

Quem conhece Dubai fica deslumbrado com a tecnologia, a arquitetura dos prédios e todo o glamour que cerca a cidade. Há alguns anos, o local era penas um entreposto comercial. Hoje, não é só uma potência econômica, mas um local que atrai turistas do mundo todo, principalmente por causa da arquitetura e das obras incríveis que existem pela cidade, caracterizadas pela grandeza, técnica e ousadia. 

Por meio do projeto Atualiza Romanzza –  que reúne viagem e pesquisa in loco – alguns arquitetos gaúchos visitaram a cidade e trouxeram muitas inspirações para o mercado de trabalho. Conversamos com a empresária Elisandra Lemos, diretora geral da Romanzza Porto Alegre e responsável pelo projeto. Elis, como é carinhosamente chamada,  nos deu algumas dicas sobre a cidade.

O que o turista pode esperar da cidade

“Dubai me surpreendeu positivamente, em muitos aspectos. É impressionante como tudo lá funciona bem. Existe segurança, pois o índice de criminalidade é perto de zero. A cidade é muito limpa, não há o menor sinal de lixo e sujeira  nas ruas. Não existem moradores de rua, todos vivem de forma digna. As pessoas são educadas e costumam respeitar as leis e normas. A população de Dubai é composta por 15% de beduínos locais e os outros 85% de estrangeiros. Não existe desemprego, tanto para locais, quanto para estrangeiro. Dubai vive hoje do turismo e para o turismo, pois as fontes de petróleo já secaram”.

Inspirações de Dubai para a arquitetura

“A arquitetura de Dubai é arrojada. Podemos citar ícones da cidade como o maior prédio do mundo – o Burj Khalifa. É de tirar o fôlego pela sua grandiosidade. O Burj Al Arab é outro ícone conhecido no mundo inteiro. As ilhas em formato de palmeira são surpreendentes, assim como o projeto mais recente impressiona, apresentando ilhas em formato do mapa mundi.”

Foto: Pexels

O que é imperdível 

“Há vários passeios imperdíveis, sem dúvida. Visita aos empreendimentos icônicos citados na resposta anterior são bacanas, pelo diferencial que eles apresentam. Mas também recomendo, a visita Gold Souk – mercado na parte velha da cidade, onde vale a pena explorar as peculiaridades do local. Também vale um pulinho em Abu Dhabi, que está próximo e tem diversas atrações, a começar pela mesquita Sheikh Zayed Grand Mosque.”

Foto: Divulgação

Maiores impactos culturais

“Nos deparamos com uma cidade erguida em pleno deserto e com tantos atrativos que são quase inacreditáveis ao compararmos com nosso país. Lá não existe corrupção. O Sheik comanda tudo com mãos firmes. Privilegia os locais para os cargos públicos de todos os escalões. Disponibiliza educação e saúde de primeiro mundo para todos os cidadãos. Retirou todos os beduínos que viviam no deserto e proporcionou moradia com até quatro dormitório e ar condicionado para todos, por conta do Estado, ou seja, todos trabalham, vivem dignamente, são respeitados pelo Estado/Sheik.”

Foto: Pexels

Por que fazer uma viagem temática

“É muito importante vivenciarmos experiências são ricas e produtivas, tanto profissional quando pessoal. Nestas viagens compartilhamos novos conhecimentos, fortalecemos amizade e parceria, discutimos ideias e pontos de vista, ou seja, enriquecemos como pessoas. E Dubai é uma cidade que cresceu com uma rapidez extraordinária em meio às dunas. Exótica, extravagante e de arquitetura surpreendente. Foi justamente esta temática do primeiro encontro do projeto. A Romanzza promoveu uma grande interatividade com os profissionais e fez uma ampla pesquisa de estudos e tendências em arquitetura. Uma experiência gratificante, que ficará para sempre em nossas memórias.”

Comentários

comentários