Pelotas: 4 lugares que você precisa conhecer na cidade
16 de janeiro de 2018
Casapueblo: o pôr do sol como despedida
20 de janeiro de 2018

Uma pousada de charme em Pelotas, na Costa Doce Gaúcha

Em Pelotas, no sul do Rio Grande Sul, a Charqueada Santa Rita tem casarões históricos para quem quiser se hospedar

Desconectar-se da vida agitada. Quem nunca precisou  disso pelo menos em um momento da vida?

Com minha vida corrida nos últimos tempos, com filho pequeno e muito trabalho, é sempre o que eu mais quero. Foi aí que surgiu o convite para visitar a Charqueada Santa Rita, em Pelotas (RS).

Eu já tinha ouvido falar das belezas da Costa Doce, região onde está a cidade, e também lembro de Pelotas das minhas aulas de História do Rio Grande do Sul, mas nunca havia me programado para visitá-la (o que é uma vergonha, eu admito!!).

Fotos: Anelise Zanoni

O passeio foi uma grande surpresa, em todos os sentidos. E na minha opinião, as grandes atrações foram a pousada que fica na Charqueada Santa Rita e a visita na Charqueada São João (Clica aqui para ler mais!!).

Localizada em uma rota de charqueadas da zona sul do Estado (onde antigamente se produzia charque e havia uma triste história de exploração de escravos!), a pousada impacta nos primeiros minutos (e depois também!!).

Depois de passarmos de carro por um portão de ferro que indica o ano de inauguração do local (1826), seguimos por um caminho verde e, logo na frente, nos deparamos com um casarão branco com aberturas azuis e um extenso e verde gramado – onde meia dúzia de carneiros e ovelhas pastam pela manhã! (o Noah adorou ver os bichinhos pela primeira vez!)

À direita, estão outras construções antigas, com tijolos à vista, árvores centenárias e janelões.

Dentro dos prédios antigos há um total de 12 dormitórios totalmente renovados. Todos os quartos são diferentes e têm peças únicas e escolhidas em antiquários e garimpadas pela proprietária da pousada.

Em boa parte deles há ladrilhos hidráulicos coloridos, azulejos portugueses, alemães e franceses, além de mobiliário restaurado. Eu achei um luxo essa exclusividade que lembra o período de luxo de Pelotas e fiquei com vontade de me hospedar em todos os quartos!

Ficamos nos quartos mais jovens, porém, no prédio que achei o mais bonito – e com data de 1826! Em frente ao prédio estava o extenso gramado, onde pudemos brincar e dar pãozinho para as ovelhas!

Outro ponto forte da pousada é a área de livre acesso aos visitantes. Ao lado da sala de café da manhã há um espaço de lazer também com mobiliário de época restaurado, sofás, cadeiras de balanço e lareira. Na primeira vez que andei por lá não havia visto. Depois levei um susto por não ter reparado naquela sala tão bonita!

Mais adiante, encontramos um jardim com redes e espreguiçadeiras – ideial para quem quer só contemplar a natureza e ouvir a cantoria dos passarinhos!

Também aproveitamos a piscina, que fica na frente do Arroio Pelotas. Por falar nisso, ficamos surpresos com o tamanho do arroio e com o movimento naquelas águas! No final de semana que estivemos por lá, havia um intenso vai e vém de jet skis, lanchas e barcos!

Há também salão de jogos e um museu que conta a história das charqueadas da região.

Embora a pousada ainda não tenha um serviço completo de restaurante, vale a pena se programar para passar pelo menos um dia inteiro curtindo a estrutura e descobrindo cantinhos decorados com objetos antigos.

O interessante é que o pessoal que trabalha na Charqueada Santa Rita ajuda a indicar locais que trabalham com telentrega de comida. Mas há um segredinho:  eles também preparam um rico carreteiro de charque com feijão! É só avisar na cozinha! Fizemos isso e saímos de barriga cheia e felizes da vida!

E uma última dica: leve calçados confortáveis para circular bastante nas áreas da pousada e também repelente (os mosquitinhos são de várias espécies e adoram um sangue novo!).

LEIA MAIS

Pelotas: 4 lugares que você precisa conhecer na cidade

Comentários

comentários