Avenida Olegário Maciel, a rua feliz do Rio
15 de setembro de 2017
Seis lugares para tomar um chimas perto de Porto Alegre
20 de setembro de 2017

A minha história de viagem não é de uma em si, mas de um apanhado de vezes em que me vi descobrindo e me encantando por um lugar novo

Viajar é dar vida à vida, é ampliar a visão de mundo sem perder o caminho de volta para casa, e, com certeza, é uma das coisas que eu mais amo no mundo. Mas, como tudo na vida, uma viagem não são só rosas, muitas vezes passamos por dificuldades, nos metemos em encrencas e nos estressamos.

Dizem que é vivendo que se aprende e isso serve para viajar também. Vamos aprendendo a lidar com as situações que nos são dadas, a não surtar quando o celular cai no vão do metrô de uma estação na Espanha ou quando tiver que dormir em um banco de outra estação na Áustria com a temperatura externa de -3 graus. Depois tudo se torna história para dar uma boa risada e para se lembrar de não repetir esses mesmos erros, até porque outros virão.

Nessas minhas andanças conheci um país que me fascinou imensamente e decidi fazer dele o meu lar por seis meses, que foram curtos para conhecer tamanha riqueza de cultura, de história, de paisagem e de povo. A Itália é tão maravilhosa que descrevê-la é uma tarefa praticamente impossível, não há uma forma de transmitir através de imagens ou palavras a verdadeira energia e magia desse lugar.

Eu decidi escrever sobre e mostrar aqui alguns dos meus lugares prediletos dessa terra que transborda tradição e patriotismo. Eu morei na capital do país, Roma, e uma vez li uma frase que a definia bem: “Roma è una continua scoperta”- Roma é uma contínua descoberta.

Sempre há algum motivo novo para desbravar Roma. Sempre há uma ruazinha cheia de lambretas e carros antigos que tu ainda não conhecia e, imediatamente, se apaixona. Sempre existirá um gelato delicioso, uma pasta all’amatriciana feita por una nonna italiana ou uma pizza de rua cortada em retângulos a ser experimentados.

Dos lugares que eu amo em Roma, eu poderia citar milhares de cantinhos, mas as minhas dicas pessoais são: pegar um gelato di biscotto della nonna na gelateria La Romana e passear pelas ruas observando cada detalhe da cidade. Assistir ao pôr do sol no Giardino Degli Aranci tomando um “vino rosso” (vinho tinto), fazer um piquenique e passear pela Villa Pamphili num dia ensolarado, beber uma “birra” (cerveja)  bem gelada no bairro da Tastevere em uma sexta-feira/sábado à noite. E o meu preferido: sentar nas escadas da Fontana Di Trevi depois das 4 da manhã quando ela estiver vazia e, simplesmente, admirá-la.

Fui morar em Roma na metade de agosto. Fazia um calor escaldante, por isso eu e minha amiga decidimos fazer uma viagem de alguns dias pela Costa Amalfitana!

Eu já conhecia alguns lugares da Costa, mas tempo nunca é demais para conhecer essa região. Fomos de ônibus (flixbus) e alugamos um quarto em um apartamento pelo website Airbnb em Napoli – lar das mais famosas pizzas de toda Itália (onde no filme, “Comer, rezar e amar”, Julia Roberts janta na Pizzeria da Michele). Por isso, quando em Napoli, o lema é esquecer das calorias e comer uma pizza enorme e de preferência sabor napoletana.

Visitamos durante o dia a ilha de Capri – onde nos apaixonamos pelas paisagens e pela vibe de cinema do lugar! Uma dica quente para quem vai à ilha é não perder de visitar a mágica Grotta azzura – uma gruta em que a água é banhada por uma luz azul refletida.

Dentre os outros destinos imperdíveis da Costa estão: Sorrento, Amalfi e Positano. Neste último foram gravadas algumas cenas do filme “Sob o sol da Toscana” e como assisti ao filme milhares de vezes com a minha mãe, visitar Positano foi realizar um dos sonhos de criança! Fiquei maravilhada com a praia cheia de guarda-sóis coloridos e com as casinhas espalhadas ao longo do litoral! Quem tiver a oportunidade de passear pelo centrinho de Sorrento, não perca também a chance de provar o Limoncello – uma espécie de licor de limão típico da região- e de assistir ao pôr do sol com vista para o mar.

Outro destino italiano que eu recomendo MUITO porque foi uma experiência muito especial para mim tê-lo visitado é “Le cinque terre”. Se tratam de cinco vilas espalhadas ao longo do litoral norte da Itália: Riomaggiore, Manarola, Corniglia, Vernazza e Monterosso. Todas elas são pequenas, apaixonantes e inesquecíveis.

Não sei ao certo se foi a combinação de ótima companhia com o ambiente ou se foi algo a mais, mas foi o lugar da Itália que mais me marcou pela sua energia. Vou sempre lembrar da sensação de paz que “Le Cinque Terre” me trouxe.

Fomos para lá de ônibus e nos hospedamos por duas noites em um quarto alugado pelo website Airbnb em Riomaggiore e passamos os dias desbravando as cinco vilas. Uma linha de trem liga todas as vilas e a viagem entre elas é bem rapidinha, cerca de 10 min de uma à outra. O pôr do sol mais lindo da minha vida assisti no alto de uma estradinha em Riomaggiore, sentada num banquinho com minha amiga e nosso fiel companheiro: o vino rosso.

Em dezembro, decidimos visitar um amigo querido que mora com a família em Verona, mais para o norte do país. Foi minha segunda visita à famosa cidade de Romeo e Giulietta, mas dessa vez, com mais calma, tive a oportunidade de realmente conhecer e me apaixonar por Verona. Ficamos hospedadas com o Enzo, nosso amigo, e a sua mãe Simone, que foram os melhores anfitriões possíveis, nos mostrando todos os seus lugares preferidos, cozinhando para a gente (imaginem uma família que cozinha bem e multipliquem por 1000) e nos ajudando a praticar o idioma italiano.

Acredito que fomos na melhor época do ano para lá porque todo o centro da cidade estava com uma decoração encantadora para o natal! Passeamos pelos “mercatini di natale” (feirinha de natal); tomamos muito “Vin brule” (quentão)  e “cioccolata calda” (chocolate quente); visitamos a casa di Giulietta, o Castel Vecchio, o Castel San Pietro e as praças da cidade. Amamos muito curtir esses dias com a temperatura baixa, ótima companhia e clima natalino!

E foi a partir dessa viagem que percebi como viajar para um lugar onde se conhece pessoas que morem lá é a melhor oportunidade para aproveitar ao máximo a cultura local! Portanto, ficamos muito gratas à família do Enzo por essa experiência.

Mencionei aqui alguns dos lugares da Itália que me fizeram muito feliz, mas poderia recomendar muitos outros, como Milano, Torino, Venezia, Sardegna, Firenze, Bologna, Siena, etc. Além de todos aqueles que ainda pretendo conhecer, pois a Itália é cheia de lugares imperdíveis!

Espero que tenham gostado de ler um pouquinho da minha experiência e que tenham ficado com vontade de viajar para esse país que eu tanto amo e admiro!

*Amanda Rossini é gaúcha, apaixonada por viagens e teve sua Travel Terapia na Itália.

Comentários

comentários