Obras de arte nas xícaras de café
18 de maio de 2017
Grand Canyon, um passeio para encher os olhos
22 de maio de 2017

Turquia é um destino com paisagens dos sonhos

Visitar palácios, mesquitas, templos e voar de balão pela Capadócia são indispensáveis para quem vai à Turquia

 

Viajar é descobrir inúmeras possibilidades de outras realidades. “Uma viagem a outro mundo”. É assim que o engenheiro químico Alberto Scorza descreve sua visita à Turquia em agosto de 2015.

Mesmo que a facilidade e a segurança o tenham levado a optar por um pacote de roteiro definido, o itinerário não decepcionou! Pelo contrário, despertou sensações únicas no viajante.

Dos mais de 75 milhões de habitantes da República da Turquia, 97% são muçulmanos. A crença do povo foi o primeiro detalhe que tocou Alberto em sua chegada. Após quase 24 horas de voos e conexões, o engenheiro foi direto para o hotel em Istambul, mas não conseguiu dormir. Logo foi surpreendido ao ouvir o primeiro Azan do dia – um cântico de chamado para o início da oração.

Realizado antes das cinco orações diárias dos muçulmanos e regido pelo anunciante de cada mesquita, o Muezim, o chamado ecoa pela cidade.

Istambul: religiosidade que impressiona

Embora seja um país laico, sem religião oficial, grande parte dos pontos turísticos tem alguma ligação com o divino. Mesmo que a capital da Turquia seja Ancara, a principal metrópole do país é Istambul.

Um dos templos mais conhecidos é a Mesquita do Sultão Ahmet, construída a pedido do governante entre 1609 e 1616. Sua estrutura majestosa enche os olhos pelo esplendor da arquitetura clássica otomana e por sua cúpula central de 43 metros de diâmetro e 23 metros de altura, sustentada em quatro pilares.

Foto: Yunus Polat/Unplash

No interior brilham 20 mil lâmpadas de porcelana de Izenik, de alto valor estético, com  cores azuis, verdes e brancas. A mesquita fica na praça de mesmo nome, em frente à Santa Sofia. Reza a lenda que o lugar leva o nome de Mesquita Azul devido aos azulejos azuis que decoram o ambiente.

O templo funciona diariamente, e o acesso é gratuito. Porém, é vetado durante as orações! Por ser uma mesquita, é necessário tirar os sapatos antes de entrar. Além disso, é preciso vestir calça comprida ou saia longa e as mulheres devem cobrir o cabelo em sinal de respeito.

 

Foto: Daniel Burka/Unplash

A famosa Hagia Sofia (Santa Sofia) foi construída pelo imperador Justiniano entre os anos 527 e 565 para reafirmar o poder de Roma, a igreja. Hoje funciona como um museu que impacta o visitante pela sua grandeza.

A igreja da santa sabedoria está entre as maiores realizações arquitetônicas do mundo e chegou a ser convertida em mesquita durante o Império Otomano!

 

Foto: VisualHunt

Durante o verão (de abril a outubro), o local funciona diariamente das 9h às 19h. No inverno (de outubro a abril), abre diariamente das 9h às 17h. A entrada custa 40 liras turcas ou 10 euros.

Outro lugar incrível é o Palácio Topkapi, onde vários sultões otomanos viveram entre os séculos XV e XIV. A ala do tesouro exibe relíquias como “as barbas do profeta” (isso mesmo! Os fios de barba de Maomé). Além disso, é possível visitar o Harém do palácio, lugar onde residiam as mulheres, concubinas e filhos do sultão. O local está aberto ao público diariamente das 9h às 17h. A entrada custa 10 euros e mais 7,50 euros para acessar o harém.

Explorando a Turquia

Em um passeio pela região asiática da Turquia é possível passar por Pamukkale e as ruínas de Hierápolis, fontes termais romanas do século I, com piscina ainda aberta para banho! Acredita-se que aqueles que se banharem nas águas ganham beleza eterna, já imaginou?!

Foto: Daniela Cuevas/Unplash

Éfeso também pode estar na lista, e é uma das maiores cidades em ruínas do mundo Ocidental. Foi erguida por volta de 1000 anos a.C. e funcionou como ponto de veneração de Cibele, a deusa-mãe da Anatólia, substituída mais tarde por Artemis. É na cidade que também está localizado o grande Templo de Artemis, uma das Sete Maravilhas do Mundo.

 

Foto: VisualHunt

Pérgamo tem a segunda maior biblioteca do Mundo Antigo e é lá onde foi criado o pergaminho.

Mais adiante, chegando à Capadócia, no Vale de Göreme, há um surpreendente museu a céu aberto. Localizado em uma terra dominada pelos Hittitas e mais tarde conquistada por Alexandre o Grande, a região é conhecida pelos vestígios deixados pelos primeiros cristãos que a habitaram, com igrejas dos séculos X e XI escavadas na rocha.

Como toda boa viagem à Turquia, não pode faltar um desafiante balão na Capadócia! Lá de cima ou em terra mesmo é possível conseguir ótimas fotos de recordação, além de uma experiência única. A tradição de voar pelas paisagens rochosas da cidade começou no início dos anos 1990, quando um casal australiano fez o primeiro voo de balão na região.

 

Foto: Zola Zhou/Unplash

Eles perceberam que o local era propício para a prática do balonismo e abriram a primeira empresa de balões da cidade! Atualmente existem cerca de 25 empresas que oferecem a atração na Capadócia. A maioria delas está nos arredores da cidade de Goreme e é bastante acessível. É possível fazer o passeio de madrugada ou pela manhã, mas a madrugada deixa a vista muita mais bonita!

Foto: Daniela Cuevas/Unplash

É preciso temer o terrorismo?

Por estar localizada na fronteira com Bulgária, Grécia, Geórgia, Armênia, Irã, Azerbaijão, Iraque e Síria, a Turquia foi alvo de ataques terroristas nos últimos anos. Foram ao menos 19 eventos com vítimas fatais, de acordo com o jornal americano The New York Times.

Apesar da zona de medo, alguns especialistas dizem que não é preciso temer. Para a psicóloga turca Semrin Sayın Barbieri Duarte, a Turquia é um país estrategicamente importante que infelizmente tem sido alvo para os grupos de terrorismo que querem ter controle e independência nos territórios do país. “Estavam dispostos a prosseguir com uma política de paz, mas quando esses grupos começaram a ameaçar a segurança da população civil, a Turquia declarou combate ao terrorismo”, explica.

 

Foto: Yunus Polat/Unplash

Semrin acredita que isto não atrapalhe necessariamente o turismo, pois o local do combate está longe das cidades metropolitanas e também os pontos turísticos como Istambul, Ancara, Izmir, Capadócia e Pamukkale. “Não é preciso medo, a menos que esteja na fronteira com a Síria, que está dentro do combate. O restante do país está bem tranquilo”, indica.

A turca, que há quatro anos vive em Porto Alegre, visitou a Turquia em 2016 com o marido, sogra e o filho de 1 ano de idade. Ela conta que passaram de carro por Istambul, Ancara, Izmir, Konya, Pamukkale e Capadócia. “Todo mundo adorou e querem repetir. Tudo estava ótimo, o governo turco aumentou a segurança em todo país. E eu, cada vez fico mais apaixonada”, revela.

Ahmet Çanga, integrante do Ministério de Cultura e Turismo da Turquia, também destaca que o terrorismo é um problema global. Nos últimos anos, cidades europeias como Paris, Bruxelas, Nice, Madrid, Londres sofreram incidentes. Para ele, apesar dos ataques à Turquia terem pausado, a guerra na Síria continua. Ou seja, o terror tornou-se grande risco em termos de danos à imagem da região.

Mesmo assim, Ahmet demonstra que a fronteira da Síria está bastante afastada dos pontos turísticos turcos. Por exemplo, a distância entre Istambul e os locais em confronto é de mais de 1.200 quilômetros. “Como resultado, as regiões preferidas dos turistas, como Istambul, Capadócia, Pamukkale e Éfeso, estão longe da guerra e do baixo risco de atos terroristas”, afirma.  

Comentários

comentários