Quando tudo passar, #ViajePeloRS – campanha incentiva viagens no Rio Grande do Sul
12 de maio de 2020
Circuito do Ouro: 4 roteiros para descobrir Minas Gerais
15 de julho de 2020

Praia do Cassino: como é a maior praia do mundo

Vagonetas levam turistas nos molhes da Praia do Cassino (RS)

Em dezembro de 2018, passei meu aniversário na Praia do Cassino, e hoje vou contar um pouco como é a maior praia do mundo – local onde passei alguns verões da infância!

Localizada na região sul do Rio Grande do Sul, a Praia do Cassino é uma referência importante pra mim.

Um compromisso familiar me levou de volta pra lá e tive a chance de me presentear com algumas memórias que estavam perdidas em algum lugar do passado.

Vila Siqueira era uma antiga estação de trens e fica no centrinho da Praia do Cassino

A praia do Cassino, que fica a quase 20 quilômetros de Rio Grande, não é um destino que os turistas se programam muito para ir. Mas sabe que vale a pena?

A praia costuma ser bem movimentada.  É geralmente frequentada pelos gaúchos que moram perto e passam os verões por lá e também pelos moradores de Rio Grande, que têm o benefício de poder escapar para a praia sempre que podem.

Cassino é considerada a praia mais extensa do mundo, porque tem cerca de 220km comprimento.  Retornar pra lá foi recordar muitas histórias da infância, época em que a vida não tinha muito compromisso.

Logo na entrada da cidade está a Avenida Rio Grande. Repleta de eucaliptos, até hoje traz o aroma das folhas verdes. O trajeto é acompanhado por uma imensa praça, que tem pracinha para as crianças e ciclovia.

Muitos prédios históricos ainda sobrevivem na cidade, mas estão com dias contados!

Até por volta de uns 14 ou 15 anos, eu andava de bicicleta com minhas primas por ali. Muitas vezes parávamos pelas feirinhas próximas à igreja e para nos abastecer de sorvete na ZumZum, que ainda mantém o letreiro no prédio.

Ali recordei de uma das últimas vezes que circulei por lá. Em cima de uma bicicleta cor de rosa, com fone nos ouvidos e ouvindo uma fita K7 do Bob Marley. 

Nas ruas estreitas da praia é comum ver crianças jogando taco – uma das brincadeiras preferidas da época e que fazia com que juntássemos meninos e meninas numa grande disputa – e, algumas vezes, gente troteando em cavalos.

Casarão repleto por hortênsias lembra residências da serra gaúcha

Nessa minha visita na vida adulta, meu olhar mirou para os poucos prédios históricos que ainda estão de pé. Quando somos crianças não damos a mínima para as “velharias”, mas fiquei encantada com as construções de estilo europeu. 

Este casarão me lembrou algumas residências que vi pela Espanha
Portão e flores ampliam a beleza dessa casa em uma das ruas da Praia do Cassino

Em uma conversa com alguns moradores, descobri que muitos dos prédios estão abandonados, porque não há interesse turístico na região (uma pena). 

Na caminhada descobri casas em estilo alemão, cabanas suíças e até mesmo residênciasque me lembram construções espanholas. 

Cabana suíça parecia abandonada… uma pena porque faz parte do acervo histórico da cidade

Aberto em 2005 e com fachada retrô, o Cine Dunas também está num prédio histórico.

O Cine dunas surgiu em 2005, mas está dentro de um prédio histórico e tempequeno museu

Exibe filmes atuais, mas preserva poltronas antigas vermelhas e projetores na ante sala, como se fosse um pequeno museu. 

Praia do Cassino: destino para ir de carro

Por ser muito extensa, a Praia do Cassino é um destino no qual as pessoas fazem questão de ir de carro até a areia.

Assim como a maioria dos veranistas, quando criança também ia de carro para a praia, e os veículos ficavam estacionados em um verdadeiro estacionamento à beira mar.

Lembro que nosso carro ia repleto de crianças. Voltávamos felizes da vida depois do banho de mar – todos no porta-malas de uma Belina ou apertadinhos e comendo bolacha sobre um reboque puxado por um carro.

Hoje a praia dá espaço também a vários ônibus que funcionam como foodtrucks e, nos molhes, mantém-se o imbatível passeio de vagoneta. É uma espécie de barco à vela com rodinhas. 

A vagoneta anda ao sabor do vento e vai até a ponta dos molhes, onde muitas vezes é possível ver famílias de leões marinhos. O passeio custa em média 10 reais por pessoa – e  vagoneta pode carregar até 5 passageiros. 

Gostei muito de rever esse destino que fez parte da minha infância.

Viajar é com certeza um grande investimento para vida e nos deixa lembranças e boas memórias para sempre.

Vocês também pensam assim?

Selecionamos mais conteúdo sobre o sul gaúcho e tenho certeza que vocês vão gostar:

Conheça os hotéis e pousadas da Praia do Cassino (RS)

Um roteiro completo por Pelotas, que fica no caminho entre Porto Alegre e Rio Grande.

Como é se hospedar na Charqueada Santa Rita, um lugar histórico de Pelotas.

Conheça Punta del Diablo, uma praia uruguaia que fica a apenas 3 horas da Praia do Cassino

Comentários

comentários