Piquenique em Gramado: conheça o parque Olivas de Gramado
19 de julho de 2020
Canela recebe selo internacional de viagem segura
31 de julho de 2020

Jordânia: um país de paisagens cinematográficas

Dizer que a Jordânia tem paisagens de cinema não é exagero. De fato, Petra (do grego, pedra) foi um dos cenários do filme “Indiana Jones e a Última Cruzada” (1989). O deserto de Wadi Rum serviu de locação para os filmes “Lawrence da Arábia” (1962) e do mais recente “Aladdin” (2019). Devido à beleza destas paisagens, combinado aos fatos históricos, o turismo hoje se tornou a principal fonte de renda do país. Mas a importância de Petra vai muito além de ser cenário de filmes.

A história da “cidade rosa” começa em 312 a.C., quando era a capital dos nabateus, uma tribo nômade árabe. Foram eles que esculpiram as impressionantes tumbas nas rochas. A cidade da Jordânia serviu como rota comercial estratégica entre Ásia e Europa para o transporte de seda, incenso, mirra, entre outras especiarias. Depois de ser dominada por bizantinos, romanos e hebreus, ficou esquecida no tempo por séculos, pois somente os beduínos sabiam sua localização exata. Em 1812, o suíço Johan Ludwig Burckhardt a redescobriu e até hoje os arqueólogos não decifraram todos os seus segredos, já que apenas metade do território foi explorado.

Cidade romana de Jerash. Fotos: Arquivo pessoal Silvia Dalcin Dalmas

O templo mais conhecido é Al Khazneh (o Tesouro, famoso pela cena do filme de Indiana Jones), mas o sítio arqueológico tem 264 km quadrados, contando com teatros do tempo dos romanos, cisternas da época dos nabateus, tumbas, trilhas entre as rochas e o impressionante Monastério, que se encontra ao final do parque. Sendo assim, para desbravar a fundo o local, são necessários pelo menos dois dias. Desta forma, vocês também podem tirar algumas horas para descansar e tomar um chá com os beduínos, enquanto conversam e aprendem mais sobre a cultura local.

Templo Al Khazneh, na cidade de Petra

O que você precisa saber antes de visitar a Jordânia

Documentos:

O passaporte é válido por seis meses. O visto é tirado na hora (por 70 dólares) e vale por um mês. Brasileiro pode renovar por mais dois meses e depois pode renovar, mais uma vez, por mais dois.

Língua oficial:

Árabe, mas a maioria das pessoas fala inglês.

Capital:

Amã

Moeda:

Dinar jordaniano (mais cara que o euro). O país é bem caro, infelizmente.

Melhor mês para visitar:

Setembro e outubro (pelo clima). Em novembro, dezembro e janeiro neva na Jordânia. E passar um inverno no deserto é algo que eu não recomendo.

Segurança:

A Jordânia está localizada no centro do Oriente Médio, fazendo divisa com Líbano, Israel, Palestina, Iraque, Síria e Arábia Saudita. A localização pode causar um pouco de medo, mas o país é extremamente seguro, não está envolvido em nenhuma guerra e nem tem conflitos internos atualmente. E garanto que vocês vão se sentir muito à vontade já nas primeiras horas. Isso porque os jordanianos são muito hospitaleiros e sempre prontos para ajudar os turistas.

Cidade de Amã, capital da Jordânia.

Sobre Petra

Como chegar:

Petra fica na cidade de Wadi Musa, a três horas de Amã. Chegando na cidade, você pode ir a pé até a entrada no parque – lá não é permitida a entrada de carros.

Vestimenta:

Recomendo um calçado confortável, roupas leves e um lenço ou chapéu para proteger a cabeça do sol. Mas pode ir de vestido, saia, shorts, rasteirinha ou o que quiser. Só não recomendo em hipótese nenhuma calça jeans, pois vão sentir muito calor e desconforto.

Na mochila:

O mínimo possível. Água, frutas e protetor solar para passar o dia no parque. É possível comprar comida e bebida lá dentro também.

Ingresso:

Compra no local mesmo. Há a opção de comprar para um dia (50 dinars), ou dois (55 dinars) ou quantos você quiser.

Curiosidades:

Petra é considerada Patrimônio Mundial da Unesco desde 1985 e, desde 2007, foi incluída na lista das sete maravilhas do mundo.
Depois de 1985, o governo da Jordânia construiu habitações para realocar todos os beduínos que viviam nas cavernas de Petra. Por isso, eles vivem em uma vila há poucos metros do parque, chamada Um Sayhoun.
A cidade já sobreviveu a dois terremotos.

Petra, conhecida como cidade rosa

Outros locais para visitar no país

Little Petra (a 20 minutos de Petra, ótima para quem gosta de escalar rochas), Mar Morto, Jerash (cidade greco-romana de mais de 3 mil anos), Aqaba (no litoral do Mar Vermelho), cidadela de Amã e Wadi Mujib.

Texto de Silvia Dalcin Dalmas. A jornalista de 29 anos viaja desde os 23 anos (quase sempre sozinha). Além de visitar 17 países a turismo, também morou na África do Sul, Peru, Venezuela, Jordânia e Palestina para trabalhar como jornalista e/ou em projetos sociais.

Você também pode gostar deste conteúdo

Mistérios e magia na Turquia

Voluntariado no exterior: conheça experiências de quem já fez

Comentários

comentários