Jardim Botânico é sugestão de passeio em Naples
21 de abril de 2019
3 dicas de boas maneiras na Europa
30 de abril de 2019

Como fazer uma viagem econômica para Europa

Meu nome é Glauber Longoni e essa é a segunda parte da minha Eurotrip mão de vaca para românticos. Vou contar minha história e ensinar como fazer uma viagem econômica para Europa. Em fevereiro deste ano contei a primeira parte da minha experiência.

No primeiro trecho da nossa viagem passamos por Milão e agora seguimos para Verona e Veneza, incluindo Burano e Murano, tudo isso com aquelas dicas para não cair em furadas e não gastar o que não precisa.

Pegamos o trem na Estação Milano Centrale em direção a Verona, que fica no meio do caminho entre Milão e Veneza.

Fotos: Arquivo Pessoal/Glauber


Como economizar na Europa

Eu estava com dificuldades para comprar o ticket em direção a Verona nas máquinas da estação. Então, um senhor muito gentil se aproximou falando inglês e me ajudou (santa inocência a minha). Após a impressão das passagens ele começou a falar “tip tip” (gorjeta) e não saiu do meu pé até eu lhe dar um euro.

Minha dica é: você está com dificuldades nas máquinas vá ao balcão da companhia e não aceite ajuda de ninguém fora os funcionários uniformizados. Não é porque estamos na Europa que não existem malandros.

Devidamente embarcados (não tem check in nem despacho de malas, levamos junto no trem onde couber) chegamos em Verona após uma hora e um pouquinho. A cidade não é muito grande então evite o pernoite, pois dá para conhecer perfeitamente em meio dia. Se estiver com muitas malas há a possibilidade de deixar em armários (pagos obviamente) na estação e buscar depois.

Verona: a cidades com ares medievais

Saindo da estação central de Verona em direção ao centro histórico dá uns 20 minutos de caminhada, onde você irá se deparar com uma cidade no estilo medieval, sendo o principal ponto turístico a Arena. O valor da entrada é 8 euros, mas vale o investimento.Vai por mim!

O interessante da Arena é que se assemelha muito ao Coliseu de Roma (guardadas as devidas proporções de tamanho), mas a de Verona está muito mais conservada e é utilizada para espetáculos até os dias de hoje. D

Dica de economia

Ao redor da Arena há vários restaurantes bacanas, mas fique de olho nos preços. Além disso, quando largarem o “couvert (pãozinho com manteiga), se você não for comer, peça para retirar, pois alguns lugares cobram até dois euros por pessoa. Muitos restaurante também estão cobrando pela água (antigamente era cortesia).

Sugiro que você se perca pelas ruas medievais de Verona por algumas horas (caminhar sem rumo por si só já é um belo programa turístico) e depois coloque no GPS para ir até a casa de Julieta, onde dizem que morava a amada do Romeu ( não espere grande coisa). É tradicional tirar uma foto segurando os seios da estátua de Julieta para dar sorte, casar, ficar rico, ter um filho ou qualquer outro desses mitos do qual eu não me lembro direito.

Veneza: cidade dos apaixonados

Depois de Verona partimos para Veneza, a cidade dos românticos e das Gôndolas. Desembarque na Estação Veneza Santa Lucia (que já é um espetáculo). De lá você já faz o deslocamento para o hotel, seja a pé ou através dos vaporetos (barcos).

Se você optar por caminhar saiba que o google maps funciona perfeitamente e esteja preparado para o sobe e desce de escadas e pontes. Uma caminhada de um quilômetro se torna um pouco cansativa, por isso leve pouca mala.

Ficamos ao lado da Ponte Rialto em  um hotel muito bem localizado, tendo estação de vaporeto próxima, além de estar próximo a Praça São Marcos, principal cartão postal de Veneza.

Dica de economia

Como saber se o restaurante é barato ou caro ? Como escolher pelo preço?  Após muita pesquisa científica e critérios técnicos da minha própria cabeça e conclusão cheguei ao melhor critério: “Spagheti a carbonara” Siim! Esse é o melhor critério para saber se o restaurante é barato ou caro. Eu explico: no restaurante barato o prato custará 8 euros; restaurante médio entre 9 e 13 euros ; restaurante caro acima de 14 euros.

Veneza realmente é incrível. A Praça São Marcos, Ponte Rialto, as gôndolas, as ruas enfim, quase tudo encanta, mas o mais legal é a atmosfera. Parece que o tempo deu uma parada por lá. A arquitetura antiga e bonita é mantida na totalidade de suas residências, embora eu não conheça o plano diretor da cidade, tenho certeza que construções diferentes das existentes não são permitidas.

O pedido de casamento na gôndola

Aliás, Veneza foi o local escolhido para eu pedir a mão da minha amada em casamento. Como nossa viagem também incluía Paris, ao final, eu estava em dúvida em qual local seria o melhor para noivar, afinal os dois lugares são conhecidas por serem românticos.

Em um primeiro momento tinha pensado em fazer o pedido na ponte Rialto, mas essa vontade passou assim que passamos pelo local. Tinha muitos turistas chineses se amontoando na ponte para tirar fotos, uma confusão de gente de todo o canto do mundo se batendo para pegar o melhor ângulo, ou seja, nada romântico.

A segunda opção era ser em restaurantes lindos a margem do canal, com as gôndola passando, violino tocando (tá, essa parte é brega), então pesquisei, pesquisei, pesquisei… e achei o lugar ideal. O Club Del Dodge, que abarcava todas minhas expectativas: lindo, na beira do canal, de cinema.

Mas, como o nome da matéria diz é uma eurotrip mão de vaca e um jantar especial no restaurante sairiam por volta de 300 euros! Infartei, morri, subi aos céus, voltei no sétimo dia…. A patroa que me perdoe, mas dá pra ser romântico gastando bem menos que isso.

Eu já havia pesquisado sobre as gôndolas de Veneza e os valores (80 euros passeio de 30 minutos durante o dia e 100 euros a noite). Tinha ciência de que era e é um engana turista, mas dadas as circunstâncias, entre pagar 300 para noivar e pagar 80 para o cara dar uma volta naquele caiaque bonito, fiquei com o caiaque bonito.

E qual seria o gancho para surpreender a patroa? A criatividade. Ela havia perdido um par de luvas na viagem, comprou outro e perdeu uma mão. Enquanto  ela tomava banho fui até uma loja próxima ao hotel e comprei outro par de luvas e retornei ao hotel. Ela se arrumou, se arrumou… a essa altura eu já havia tomado meia garrafa de vinho marca “encorajador”.

Saímos do hotel para uma caminhada e talvez jantar, então a convidei para darmos um passeio de gôndola, ela estranhou porque eu já havia falado que achava um roubo o valor cobrado, mas ela curtiu a ideia. Mas e a luva?? (já vou chegar nessa parte)

Entramos na gôndola e chorei o preço, obviamente. De 100 euros paguei 80, pois tinha anoitecido há poucos instantes. Eu já estava corado do vinho e com a devida coragem, então disse para patroa que queria fazer um vídeo da gôndola, peguei meu celular comecei a filmar, então fiz a seguinte narrativa (sotaque imitando um italiano):

“Vamos fazer um vídeo, essa é minha namorada. Minha namorada tinha um par de luvas e perdeu, minha namorada não pode ficar sem luvas, então vou dar para ela um novo par de luvas, mas antes de dar o par de luvas eu vou perguntar para ela se ela ficará com essas luvas para o resto da vida?”

Ela respondeu rindo e mexendo a cabeça dizendo que sim.

Continuei…

“Bom, pegue essas luvas e as coloque, mas pergunto se é para todo o sempre que deseja usar essas luvas?”

Nesse momento, ela estava com as luvas em mãos onde dentro estavam as alianças (considerando o perfil garota distraída da patroa, eu só rezava para ela não abrir a caixa e deixar as alianças caírem no rio).

Ela me deu um tapa no braço e me disse, já com os olhos marejados “eu não acredito”.

“SIMMM EU ACEITO!!”

Nos beijamos enquanto o amigo do caiaque só observava e mostrava não sei o que da cidade para nós. Nos abraçamos, fizemos juras de amor a bordo de uma gôndola em Veneza, o momento foi eternizado em nossas mentes e jamais se apagará.

Não deixe de conhecer Murano e Burano

Reserve ao menos um dia para conhecer essas duas cidades. O ponto de partida é em Veneza mesmo, através de vaporeto.

Murano é a ilha dos cristais. Vale a pena ver a fabricação dos cristais, tirar lindas fotos na cidade de cenário bucólico e, em seguida, pegue o mesmo vaporeto para a Burano e conheça toda ilha a pé. Suas casas coloridas são um espetáculo a parte para amantes da fotografia como este que vos escreve. O local é ótimo para registros. Ah! E nessa altura da viagem já estou desfilando de aliança.

Finalizamos Veneza com este lindo cenário e com a expectativa de voltarmos quem sabe daqui a dez ou vinte anos para comemorarmos nosso aniversário de casamento, quem sabe?

Daqui vamos para Florença com uma passadinha em Pisa e depois Roma. Por último vamos a Paris e quem quiser saber o final dessa história fica ligado no TravelTerapia que logo mais teremos o último capítulo!

  • Glauber Longoni é seguidor e fã do nosso blog Travelterapia, de onde sempre pega dicas de viagem: desde restaurantes, dicas de transporte, locais para visitar e aquela dica esperta para viajar sem gastar o desnecessário.


Comentários

comentários